Informativo semanal de noticias

terça-feira, 4 de abril de 2017

CPRH intima aterro em Igarassu

Órgão avaliou que lixo foi arrastado pela chuva do fim de semana
Órgão avaliou que lixo foi arrastado pela chuva do fim de semanaFoto: Divulgação/whatsapp
As denúncias feitas pelos moradores do assentamento Engenho Ubu, às margens da BR-101, em Igarassu, foram verificadas de perto por uma equipe da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH). Por meio de nota, a autarquia informou que realizou uma vistoria na área e que ficou constatada a presença de resíduos oriundos da Central de Tratamento de Resíduos (CTR-PE) próximos ao rio Jardim. A causa mais provável, de acordo com a CPRH, é o arrasto de lixo pelas chuvas ocorridas no fim de semana na região. Algo que, segundo alguns assentados, é corriqueiro e vem afetando a saúde das cerca de 400 famílias que habitam o local.
Ainda segundo a nota, não foi constatada a presença de lixo hospitalar na fiscalização, mas foi identificado um líquido escuro, que pode ser advindo de chorume. Para comprovação, a CPRH enviou, na última quarta-feira (29), uma equipe de seu laboratório para fazer coleta e, com análises, verificar qual seria a composição do resíduo.

Caso realmente se trate de chorume, o órgão ambiental prometeu tomar as medidas cabíveis. A CTR-PE foi intimada a remover todos os resíduos arrastados pela chuva em um prazo de até dez dias. A poluição hídrica com destruição da fauna ou da flora está tipificada na Lei de Crimes Ambientais (9.605/98) e, em caso de condenação, pode gerar penas de um a até cinco anos de reclusão, além de multa a ser fixada pela Justiça.
A reportagem publicada com exclusividade pela Folha de Pernambuco também chegou ao conhecimento do Centro de Apoio Operacional (Caop) à Promotoria de Meio Ambiente do Ministério Público de Pernambuco (MPPE).

Sobre o caso, o promotor André Felipe contou que ainda não há denúncia formalizada. “Foi bom porque, apesar de não haver registro, o Caop já vai se inteirar do caso, providenciar o contato com os denunciantes e vai poder dar uma previsão sobre que providências vai tomar. As centrais de resíduos, via de regra, operam com muita responsabilidade, mas é possível que esteja acontecendo alguma coisa irregular. Eu achei isso muito grave”, avaliou, dizendo ainda que o órgão pode agendar uma vistoria na CTR, em Igarassu. 
O caso
Folha de Pernambuco recebeu denúncia dos moradores do assentamento Engenho Ubu a respeito do descarte de chorume e resíduos produzidos na CTR. Segundo os relatos, que foram acompanhados de fotos e vídeos produzidos por um assentado que não quis se identificar, o aterro vinha lançando esses detritos - incluindo até mesmo lixo hospitalar, segundo os moradores - no rio Jardim, um dos afluentes que alimentam a adutora Arataca, parte do sistema Botafogo, que abastece municípios como Igarassu, Paulista, Abreu e Lima, Olinda e parte da Zona Norte do Recife.

De acordo com o morador, a comunidade do local vem sofrendo com a queda drástica na qualidade da água desde a instalação do aterro, além de conviver com os danos trazidos pelos gases originados no processo de decomposição do lixo.
 Fonte: Folha de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário